Uma noite de 3 jogos

Em 31 de Janeiro Mark Hading organizou outra noite com três diferentes larps: The Trench (A Trincheira), The Forgotten (Os Esquecidos), The Tribunal (O Tribunal). O primeiro jogo foi The Tribunal e The Forgotten e The Trench form jogados em paralelo.

The Tribunal é um larp por J. Tuomas Harviainen e você pode fazer download do jogo em inglês aqui. O jogo foi o campeão do The Larpwriter Challenge 2010. O jogo é sobre uma unidade do exército onde dois soldados foram acusados de roubarem pão, mas eles são inocentes. O jogo é planejado para 90 minutos e comporta 5 a 12 jogadores. Eu pessoalmente acredito que ter todos os jogadores seja melhor. Os dois soldados acusados não fazem parte do jogo. Uma das coisas mais interessantes sobre este jogo são os personagens. Cada personagem é associado com um animal, logo o comportamento e personalidade do personagem compartilha o comportamento e personalidade do animal. Os personagens disponíveis sãos:

  • Lobo
  • Rato
  • Corvo
  • Cervo
  • Pavão
  • Cachorro
  • Ratazana
  • Águia
  • Cegonha
  • Gato
  • Bisão
  • Cavalo

Esta mecânica de associar animais com os personagens facilita a compreensão dos jogadores sobre quem são os personagens assim como as relações entre os mesmos. Por exemplo o pavão sempre gosta de ser o centro das atenções; o cachorro é um soldado leal; o rato é o mais fraco de todos; o lobo atazana todo mundo.

Por alguma razão este larp é muito popular na comunidade. Um dos jogadores jogou apenas quatro larps e todos eles foram The Tribunal. The Tribunal também foi o larp de muitas pessoas.

O jogo foi facilitado por Mark e nós tinhamos todos os 12 personagens. Meu personagem era o Rato e ele tem sofrido faz muito tempo e agora ele enxerga uma oportunidade de fazer com que todos sintam sua dor. Obviamente o Lobo e a Águia são os que mais o importunam.

Ao longo do jogo um oficial, personagem do facilitador, aparece e convoca um dos personagens para uma conversa privada onde ele pergunta quem cometeu o crime e sobre o que os soldados estão conversando. O facilitador também implementou algumas mecânicas extras para tornar o jogo mais intenso como por exemplo: “jogar água” e “ferir”. Em termos de jogo o personagem foi ao banheiro e se molhou. Meu personagem foi quem se feriu, eu sou o Mouse no final das contas certo. Primeiro o oficial me socou no rosto e depois de jogou do topo da escada (nada disso realmente acontece). Eu usei sangue falso em meu rosto para representar os ferimentos. Quando fui jogado da escada dois soldados tiveram que me carregar de volta para a sala. Durante a conversa privada obviamente eu acusei o Lobo e a Águia.

O Lobo e a Águia sãos os que mais importunam o Rato e durante todo o jogo eu fiquei fugindo deles. O Bisão era o meu grande camarada que sempre me protegia dos dois. Apenas uma única vez o Lobo em encurralou e me disse coisas desagradáveis.

The Forgotten (Os Esquecidos) é um larp de Andrew Medeiros, o mesmo autor the Urban Shadows (hack do Apocalypse World). The Forgotten é um jogo sobre sobreviventes em um cidade tomada por rebeldes e sitiada pelo governo onde eles tentam se esconder, encontrar comida e sobreviver. O jogo é divido em cenas que representam dias. The Forgotten é um larp para 60 a 90 minutos e comporta 3 a 6 jogadores. Infelizmente não tive a oportunidade de joga-lo porque estava jogando The Trench, mas felizmente poderei jogá-lo em 27 de março na Drewcon. Os comentários que ouvi sobre o jogo são ótimos.

The Trench (A Trincheira) é um larp por Mark Harding sobre as trincheiras da primeira guerra mundial. Foi o seu primeiro play test e foi jogado três vezes. O jogo consiste em um grupo de soldados que estão tentando cruzar um campo de batalha e eles tem que conseguir ultrapassar cinco trincheiras. Os personagens disponíveis no jogo são:

  • Tenente
  • Sargento
  • Médico
  • Engenheiro
  • Capelão
  • Cabo, pode haver mais de um.

Cada personagem possui uma habilidade especial com exceção dos Cabos, mas eles podem ser promovidos durante o jogo. A distribuição de personagens começa com o facilitador escolhendo quem será o Tenente, que por sua vez escolhe o Sargento e assim por diante. A segunda etapa na criação de personagens é a criarão de relações com os demais soldados. Cada Cabo escolhe outro personagem e diz algo sobre a relação que eles possuem, então o personagem escolhido complementa o que foi dito com um E ou MAS. Por exemplo: “Nós somos irmãos” e “E eu estou aqui para garantir que você sobreviva”.

O jogo segue uma trilha sonora e em momentos determinados apitos são ouvidos, o que é um sinal para os jogadores para tentar chegar na próxima trincheira. Cada personagem tem uma pequena bolsa com pedras dentro. Quando os soldados tentam cruzar o campo de batalha para a próxima trincheira eles devem retirar uma pedra do saco, dependendo da cor o personagem teve sucesso, foi ferido ou morreu.

Nos jogamos três vezes porque o jogo se monstrou letal. Na primeira vez em menos de 15 minutos todos estavam mortos. Durante cada execução nós conversamos a respeito e sugerimos mudanças que foram testadas logo em seguida.

O jogo possui uma mecânica muito interessante que gostei bastante. Neste momento Mark está trabalhando no jogo para torná-lo melhor e eu estou ansioso para jogar a nova versão!

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: